terça-feira, 1 de janeiro de 2019

Livro "Batalha Histórica de Quifangondo", de Serguei Kolomnin




Ao pesquisar cuidadosamente os eventos da Batalha de Quifangondo, o historiador militar russo Serguei Kolomnin preenche quase em definitivo as lacunas existentes nesse momento ímpar na criação de um estado em tempos modernos. Digo “quase”, pois as dificuldades são imensas para romper com as vaidades e interesses pessoais nos relatos desse acontecimento, que hoje tem mais heróis que combatentes na época. Cubanos que insistem em viver ainda hoje num mundo irreal que só sobrevive na propaganda que encobre a pobreza atroz trazida pelo comunismo ingenuamente levado ao pé da letra - como na paupérrima Coreia do Norte - exageram seu papel bem no anacrônico estilo stalinista; sul-africanos fantasiam e criam uma “retirada heroica” para encobrir sua vergonhosa deserção em pleno combate; zairenses ficam calados para evitar perguntas constrangedoras e querem esquecer suas desaventuras vergonhosas em Angola; angolanos de ambos os lados relatam verdadeiros contos infantis que me fazem lembrar o nosso herói militar brasileiro Duque de Caxias “com as granadas explodindo nas patas de seu cavalo e com a espada desembainhada, gritando: siga-me quem for brasileiro!” Criança, eu lastimava pelo cavalo... As histórias destinadas à formação artificial de um orgulho nacional são geralmente assim forjadas, não resistem a um estudo mais crítico. Tarefa difícil e inútil tanto no Brasil, formado com “tribos” tupis, tapuias, guaranis, italianas, portuguesas, alemãs, japonesas, como nos países africanos, artificialmente construídos pelos países colonizadores e que juntam no mesmo balaio etnias várias, incompatíveis em hábitos, tradições, fisicamente diferentes, algumas inimigas inconciliáveis…                                                       

Portanto, que tal sermos honestos e racionalmente, deixar de lado as grandes e heroicas historietas de nacionalismo puro, empunhando bandeiras ao vento e destroçando o inimigo? Quifangondo, batalha de vital importância para o futuro politico de Angola, foi o improviso da pressa de um lado contra a confortável posição geográfica dos defensores do outro lado, que pelos números do próprio MPLA só morreram uma meia dúzia, no máximo. Provavelmente no mesmo dia deve ter morrido mais gente atropelada em Luanda no caótico trânsito provocado pelos carros abandonados pelos portugueses em fuga para a Europa e guiados por africanos sem experiência…

No livro “Batalha Histórica de Quifangondo”, Serguei Kolomnin busca com eficiência os detalhes, confronta os relatos dos participantes, procurando ser imparcial (mesmo chamando de “internacionalismo puro” o puro intervencionismo soviético e de seus afilhados cubanos). Desfaz com seu trabalho injustiças históricas, como a insistência angolana de menosprezar e mesmo encobrir a decisiva ajuda soviética de última hora para se valorizar e até, usando as próprias definições da Convenção Internacional contra o Recrutamento, Utilização, Financiamento e Treino de Mercenários, corrige a acusação de mercenários, usada por muitos, ao idealista grupo do Coronel Santos e Castro e do Major Alves Cardoso, do qual fiz, honrosamente, parte. Ambos oficiais eram angolanos de nascimento, respectivamente Lobito e Nova Lisboa; Angola ainda era uma província portuguesa, o que justificava a nossa presença nos combates; muitos dos portugueses também eram africanos que jamais haviam posto o pé na Europa e o único que poderia ser considerado um estrangeiro, (mas menos que os cubanos, zairenses, soviéticos) era eu, nascido no Brasil mas com dupla cidadania portuguesa. Nenhum pagamento fora prometido no recrutamento e sim a paga maior: ajudar na construção de um novo país com nossos valores ocidentais. Por isso, sermos confundidos com os aventureiros de língua inglesa que só apareceram no final do conflito sempre nos incomodou. Por isso, devemos agradecer ao nosso antigo inimigo, autor dessa obra, pela honestidade e profissionalismo. Cita também meu relato sobre a deserção sul africana com seus obuses 140 que poderiam nos ter dado a vitória, mas que hoje, em livros e textos, procuram justificar com mentiras patéticas, afirmando que o Coronel Santos e Castro é que os abandonou sem proteção, sendo que sempre, até o final do combate, estivemos alguns quilômetros à frente da bateria de obuses. Transformaram a vergonhosa fuga em uma epopeia digna da 1ª guerra mundial, com os obuses sendo rebocados em estradas enlameadas, sem ninguém entre eles e o inimigo, sendo que só percorreram asfalto até Ambriz! E o General Ben Roos também somou-se à lista de "heróis"...

Mas o facto principal, linha mestra dessa obra, é o papel indiscutível dos BM-21 russos na batalha. Num ousado esforço de pilotos soviéticos, esse equipamento foi transportado por milhares de milhas e colocado pronto para a ação no momento decisivo. E o resultado principal, insisto, foi o psicológico. O maciço bombardeamento, concentrado em nossas posições, criou o pânico na tropa africana, que sendo de fracos valores ideológicos, sem noção profunda de nacionalidade, aterrorizada, só pensou em salvar a própria pele e evitar a todo custo repetir a experiência. Devo lembrar que nós, os Comandos Especiais de Santos e Castro e Alves Cardoso, ao conquistar com facilidade o norte de Angola para a FNLA, fomos várias vezes alvejados pelos 122 através de lançadores individuais, o que não nos causava a mínima preocupação ou danos maiores. O que se viu depois de Quifangondo foi a desmotivação total do ELNA, um caminhar em direção à fronteira do Zaire, enquanto eu comandava um pequeno grupo atrás de pontes destruídas, procurando ser a pedra no caminho dos cubanos, retardando-lhes o fácil avanço.

Mas notei um certo desconforto do General Xavier, angolano, que efetivamente participou do combate, em posição vulnerável na linha de frente e merece nosso respeito. O relato de sua atuação na batalha, no manejo do canhão 76, coincide com as informações repassadas pelo condutor da Panhard 90 atingida, que conseguiu escapar e posteriormente fez parte de minha tripulação até o final da guerra no norte. Mas acredito que o general não apreciou a falta de colorido nacionalista angolano no livro do aliado Kolomnim! Também não concordou com minha opinião sobre a ineficiência do 122 como arma de resultados físicos, no terreno, e demostra bons conhecimentos sobre o míssil que empregou muitas vezes. Mas perguntaria eu, até com certo humor, ao general: quem pode opinar com mais precisão sobre o efeito de uma pedrada? O garoto que atira ou aquele que a recebe na cabeça? O sr é o atirador, mas eu sou o alvo! Pelas contas cubanas, foram cerca de 700 mísseis, pela CIA, milhares. Todos concentrados na baixada do Panguila, cujo centro era a ponte, meu ponto de ação. Eu estava lá, não dentro de um abrigo, mas cruzando a ponte, correndo, rastejando, resgatando colegas feridos, avançando, retrocedendo, passando informações, e estou aqui, sem maiores arranhões, resmungando acerca de ineficiência do 122 em causar maiores baixas físicas… Se nossas baixas aparentemente aceitas por ambos os lados foram de aproximadamente 350 homens e usando os números cubanos, teremos o uso de 2 mísseis para cada inimigo atingido, inimigo esse que estava em campo aberto, sem qualquer abrigo! Mantenho minha opinião admitindo porém se não fosse o desmoralizante efeito em Quifangondo, provavelmente Angola hoje estaria, no mínimo, dividida em Angola do Norte e Angola do Sul, tal qual aconteceu com Coreia e Vietnam.

Mas os estrondos dos mísseis 122, na Batalha de Quifangondo, atingiram mortalmente a alma dos nossos combatentes...



Corrigindo sutilmente a história angolana... Na medalha comemorativa dos 40 anos da Batalha de Quifangondo, a União dos Veteranos de Angola, de Moscou, "reconstrói" o monumento erigido no local com mais precisão e justiça : entre os heróis a serem lembrados foi colocado o BM-21!



sábado, 3 de novembro de 2018

Contra o risco de outro atentado, 57 milhões de guarda-costas!


O risco de outro atentado contra o presidente eleito é real, considerando que o inimigo, enquanto não for definitivamente banido, caçado, preso ou eliminado em confronto com as forças da lei, é uma organização criminosa com fachada de partido político e tem em sua esteira um rastro de sangue, inclusive contra suas próprias fileiras no conhecido estilo estalinista.

Esquerdopatas dispostos a tudo, sonhando com seu rosto numa camiseta vermelha ou num pôster gigante nas comemorações do 1º de Maio. Entre seus componentes existem aqueles que comprovadamente demostram em seu passado de crimes, que optaram pela violência covarde dos atentados como meio para atingir seus fins, e, por incrível que possa parecer, hoje são regiamente recompensados com indenizações milionárias. Pavlov explicaria. Fiz, fui recompensado. Farei novamente...

Atentados raramente são impedidos por seguranças altamente treinados, escoltas fortemente armadas; esses atuarão já no desenrolar do ataque e o resultado é imprevisível. O que neutraliza um atentado é um serviço de inteligência bem realizado, tentacular, abrangente, contínuo, sem se preocupar em seguir regras contra um inimigo que não as têm. Depois, passado a fase de perigo é que se apresentam honestamente os relatórios das possíveis transgressões realizadas no decorrer das investigações. Trata-se de segurança nacional, trata-se do futuro de um país agonizante, que precisa de medidas urgentes e não de paliativos, UTI, e não pronto-socorro; medidas pífias não resolvem, estamos em guerra civil há muito, uma guerra esdrúxula em que a só um lado é permitido atacar, saquear, matar.

Um serviço de inteligência, por mais competente que seja necessita sempre da população, o estado de alerta é para todos nós nesse início de uma nova era. Pela primeira vez desde que começou a ditadura petista, mesmo os normalmente acomodados, atingidos pelo estado catastrófico em que o país se encontra, levantaram em massa para gritar um não! Dessa vez, não! E isso tem que ser definitivo. 

Pela primeira vez em décadas - atentem para esse fato- aparece o líder natural que faltava ao Brasil. Não podemos perdê-lo e o inimigo não pode suportá-lo! Um líder que não aceita o danoso "politicamente correto" que nos manteve amordaçados, que fala o que pensa, enfrenta os velhos tabus, dá nomes aos bois, tem formação guerreira.

Por isso é admirado por nós e tido pelo inimigo como um obstáculo a ser eliminado. Se mantivermos a mesma determinação que derrotou as fraudes nas eleições, se estivermos dispostos a sacrifícios em prol do futuro de nossas famílias, ajudaremos a neutralizar as ações inimigas. Mobilizados até a vitória final, mostremos nossa força! Que os narcomarxistas que tanto dano nos causaram sejam definitivamente varridos de nossa Pátria!


terça-feira, 30 de outubro de 2018

Eleições 2018 - Família, Lar, Liberdade: Pátria!



Vencemos porque a determinação dos verdadeiros cidadãos foi maior que as fraudes - que aconteceram - e esta é a primeira vez nas últimas décadas que vejo os habitantes desse território latino americano agir em conjunto e racionalmente, em defesa do que deveria ser elementar: a família, o lar e a liberdade.

Mas - atentem- essa determinação - e disposição para o combate se necessário - não pode decair, a vigilância cidadã deve ser mantida ou perderemos novamente, pois o inimigo trabalha, por deformação histórica, melhor no caos, nas trevas. São marginais, frustrados, recalcados, invejosos, desonestos, raivosos do sucesso alheio, sem relacionar esse sucesso com trabalho árduo. Eles primeiro sabotarão, depois explorarão o descontentamento dos mais fracos de nós e tentarão voltar. O Partido dos Trabalhadores não é um partido político, é uma facção criminosa que deve ser extinta, colocado na ilegalidade. Os processos e as condenações de seus líderes provam que é uma associação ilegal, voltada para o crime. Vigilância e expurgo também na fonte: nas fábricas de fantoches descerebrados chamados de universidades, através de mestres nefastos e teóricos, desconhecedores da vida real, verdadeiros comissários políticos estalinistas, que não podem mais ser tolerados!

Não abram a guarda! Não relaxem! Talvez não tenhamos muito tempo para saborear os resultados, mas a conquista será para nossos filhos e netos, num Brasil como verdadeira Nação. Porque a nacionalidade só agora começa a aparecer, só agora sinto que os brasileiros começam a se formar verdadeiramente nesse território que até a pouco eu denominava de Porto de Piratas.

Não apenas assistam e protestem contra o corroer de nossos alicerces democráticos quando detectados, contra-ataquem de imediato e batam forte! O Brasil começa a amadurecer finalmente.

quinta-feira, 25 de outubro de 2018

Eleições 2018 - A volta fraudulenta da ditadura petista: é preciso lutar!


Brasileiros acreditam que os venezuelanos estão debaixo de uma ditadura bolivariana mas neles não conseguem visualizar nosso futuro imediato, consideram o governos de Lula e Dilma, legítimos após mais de uma década de fraudes, desmandos, roubos, corrupção, assassinatos políticos, truculência e reeleições ilegítimas através de crimes eleitorais à luz do dia, com apurações secretas sem comprovação e sem direito à recontagem! Que democracia é essa!?

Pelas contas da própria esquerda, que sabidamente tem a mentira e o exagero como modus operandi, os mortos e desaparecidos no regime militar somam cerca de 400 indivíduos. Hoje, num Brasil abandonado, em apenas três dias supera-se essa marca, em homicídios! Mais do que qualquer guerra presente no planeta, 60 mil assassinatos por ano! E é a ditadura petista que os matou, ou seja, 400 vítimas do Governo Militar contra 60.000 por ano da Ditadura Petista! Acordem! A corrupção é assassina também! Quando os petistas esvaziam os cofres da nação, saqueiam a Petrobras, o BNDES, repassam nosso dinheiro para os coleguinhas ditadores de outros países e enchem suas próprias contas secretas, estão tirando os leitos dos hospitais, os remédios, estão deixando nossas estradas mais perigosas por falta de manutenção, a Polícia sem verbas! Lula e sua quadrilha são ladrões, são assassinos, entendam isso!

Só há uma diferença entre a Venezuela e Brasil: lá não há tantos covardes e corruptos fantasiados de oposição ou Justiça como aqui e os venezuelanos saem às ruas já dispostos à luta e não ao diálogo, pois com ditaduras não se conversa. Os principais opositores estão presos ou mortos; aqui estão bem vivos, livres e filosofando sobre conversar e colaborar para “o bem do país” e aceitando nossas “eleições” como demonstração democrática!

Todos se indignam sobre o silêncio da mídia, da grande mídia, incluindo as tradicionalmente mais à direita que se calam e não dão cobertura às manifestações cidadãs que começam a pipocar por todo o país de forma quase espontânea, contra a farsa descarada da "virada" de última hora ensaiada por Haddad, numa repetição cínica das últimas eleições para a presidência!

Não podemos aceitar a volta da ditadura dos ignorantes imposta pelos petistas, formados pela escória humana que paralisou o crescimento da nação!

Por tudo isso precisamos de um líder guerreiro que una o país num só idioma de salvação e nos guie nesta batalha que já está acontecendo. É a metade dos brasileiros, justamente os que trabalham e geram a riqueza do país que estão contra a volta da criminosa ditadura petista. Precisamos urgentemente deixarmos de ser operários e ser soldados, deixarmos de ser cavalheiros e passar a ser cavaleiros, resistir e preparar-se para a carga. Não aceitar a fraude! Mantermos a disciplina e evitar o confronto até a vitória ou a configuração da fraude; depois, ou comemorar ou lutar pela sobrevivência da Nação, não há mais opções. Luta ou submissão. A campanha da quadrilha petista tem sido um insulto à inteligência humana, um deboche às instituições e à família brasileira! Parem com essa ideia de que somos um povo pacífico, somos em verdade um povo covarde! Um bando de ovelhas que se deixa conduzir ao matadouro! É preciso lutar!


quarta-feira, 24 de outubro de 2018

Eleições 2018 - Os Cyborgs Vermelhos que alteram o resultado das urnas


Enquanto todos se preocupam com o absurdo chamado de urna eletrônica, com prováveis fraudes sofisticadas, esquecem que existe algo mais vulnerável ainda, o ser humano, facilmente atacado por um vírus chamado suborno. E para isso a grande quadrilha tem quantias impressionantes em dinheiro vivo, indetectável. Sim, as velhas fraudes grosseiras, comuns nas repúblicas bananeiras como a nossa. É possível votar sem título, e o controle é feito manualmente pelos mesários, sob supervisão dos presidentes das mesas e esses homens e mulheres que são escolhidos com antecedência de dois meses, geralmente entre os eleitores da seção, de preferência com curso superior, professores, funcionários da Justiça, admitindo-se também voluntários. E essa lista de nomes é obviamente, aberta para consulta pública, o que dá muito tempo para detectar os mais vulneráveis para a corrupção, e contatá-los. Lembrem-se que estamos lutando contra uma quadrilha poderosa, tão tentacular, infiltrada, impiedosa, como a de seus aliados, os grandes traficantes de drogas! Em um universo de quase 500 mil urnas, bastam apenas 40 votos para Haddad em cada uma, para retirar uma vantagem de 20 milhões de votos. Para Dilma bastaram uns quatro votos por urna apenas!

Apenas 50% dos eleitores serão identificados por biometria, para o restante é só apresentar qualquer documento e assinar, algo que pode ser feito por qualquer um, já prestes a terminar o horário de votação, substituindo os eleitores faltosos. Com o auxílio da digitação, uma centena de votos podem ser inseridos em poucos minutos, enquanto, de posse dos dados dos ausentes, são preenchidos e assinados os comprovantes. Isso é um método antigo, do tempo das cédulas em papel, fraudes muito simples. Mesmo com a biometria, ainda se permite que o mesário desbloqueie a urna quando ela não reconhece as digitais do eleitor. Portanto, a fraude de identidade realizada por mesários, ou com sua conivência é e sempre foi possível. Daí a importância da confiabilidade dos fiscais dos partidos, dos mesários honestos, que não devem se ausentar um minuto sequer das salas de votação e fiscalizar os próprios colegas de trabalho. Nós também podemos participar, não indo votar em massa nos melhores horários, dando margem a que seções de votação fiquem desertas em determinados períodos. Se possível, compartilhem esse parágrafo, estaremos ajudando a combater a fraude.
Afinal, nas fraudes petistas não são eletrônicas ou manuais, são realizadas por cyborgs vermelhos, uma mistura de homens e partes eletrônicas, um facilitando a tarefa suja do outro. Lembrem, a diferença apresentada até agora entre o cidadão Bolsonaro e o deplorável lacaio que representa um presidiário, não pode ser revertida em poucos dias, mesmo com falsos fatos novos gravíssimos que possam ser apressadamente fabricados pela Grande Quadrilha. Desta vez NÃO! 


terça-feira, 23 de outubro de 2018

Eleições 2018 - Votar ou lutar, chegamos ao ponto de não retorno


Últimos dias, hoje sai mais uma pesquisa. Já vemos ministros do STF mostrando seu lado de lacaios, parciais, é a desesperada reta final. Atentem às pesquisas: se Haddad "subir" que seja um ou dois pontos e Bolsonaro "permanecer estável" ou com "ligeira queda" é sinal que as Forças do Mal não desistiram e tentarão a fraude, subestimando mais uma vez o povo brasileiro, certos de sua mansidão já demostrada nos últimos 13 anos, apostando no "haverá convulsões, depois se acalmarão e aceitarão passivos"... Um ou dois dias depois virá a "retumbante virada", "o povo finalmente despertando para o perigo fascista" e uma avalanche de pesquisas falsas com números fantásticos para o eunuco do presidiário.

Se os resultados demonstrarem a verdade inquestionável que é nem mesmo a vitória de Bolsonaro, mas sim o repúdio total ao PT, o nojo aos petistas, o basta, o agora não, o nunca mais, será sinal que não têm mais munição no momento, mas os enfrentaremos no primeiro e difícil ano para o novo governo. Que Bolsonaro coloque a disposição meios para que possamos denunciar e caçar os ratos vermelhos infiltrados em todos os setores da administração pública e que sabotarão o despertar de um novo Brasil.

São poucos dias, pense nos filhos, na família, no futuro, vamos para as ruas mostrar nossa força -e determinação para a luta- hoje mesmo dependendo do que as pesquisas indicarem, e depois, no domingo, votar e não voltar para casa, permanecer em vigília até o anúncio do resultado. Dessa vez NÃO!

domingo, 21 de outubro de 2018

Cordel Histórico: O casamento de Lula e Dilma no Inferno (versão 2018)


Os direitos dessa obra eu dei para o Pedro Marangoni do Blog, paulista cabra da peste, amigo arretado para que ele faça o uso que bem quiser mas que aguente a cacetada se alguma vier, lavo minhas mãos. Eu, Pedro, poeta da família Silva do Sítio do Lagarto na valorosa e destemida Paraíba, assinei.

I

Lá na capital da Paraíba
essa história ouvi cantada
que vai sendo conhecida
e pouco a pouco desatada
na presidência do Brasil
a mais longa trapalhada.

Uma se achava rainha
mas com andar de campônio
outro o rei da cachaça
aumentando o patrimônio
os dois ganharam o poder
num trato com o demônio!

Um não tinha um dedo
tampouco tinha vergonha
a outra foi uma bandida
empunhando uma coronha
mas nenhum devia mesmo
ter vindo no bico da cegonha!

O pobre do meu Brasil
que vivia tão contente
de repente ficou preso
nas mãos de dois dementes
sem aparecer um herói
um novo Tiradentes!

Até o Papa Francisco
por aqui apareceu
tentando por fermento
no bolo que não cresceu
pois na terra prometida
a liberdade morreu.

Foram oito anos de Lula
na mais pura gambiarra
depois veio a dona Dilma
para completar a farra
brasileiros como formiga
e petistas como cigarra!

Na Copa do Futebol
o povo pediu um basta
saiu nas ruas gritando
contra a quantia gasta
mas a louca se achou mãe
quando era uma madrasta!

Primeiro ficou muda
depois falou demais
dando o que não pediram
mas atendendo jamais
botou polícia nas ruas
como caçando animais.

E a ordem foi embora
acabou-se o progresso
no Reino de Lula e Dilma
pra viver pagava ingresso
e acabou em quebradeira
povo em cima do Congresso!

Até nos palácios em Brasília
não ficou um vidro inteiro
na revolta do bom povo
até ontem muito ordeiro
mas que não queria ver o país
ser dado pro estrangeiro!

Fingindo que nada sabia
o Lula se escondeu
a língua que já era presa
parecia que o gato comeu
a Dilma pegou então um jato
e para São Paulo correu.

Pulando de prédio em prédio
como se fosse a mulher gato
a Dilma amaldiçoava o patrão
aquele pinguço ingrato
que deixou em agonia a bovina
como esperto carrapato!

Bateu o punho na mesa
vou mostrar ao Brasil inteiro
quem manda nesse boteco
e vou sair do atoleiro
mas sem nada mais fazer
apelou pro marqueteiro!

E tocou a botar propaganda
e chamar médico estrangeiro
assustando a população doente
com doutor cubano açougueiro
só acabou dando mais lenha
na fogueira de arruaceiro.

Dando um nó na sabedoria
mostrando ao povo união
tentando agarrar o poder
e forçar a reeleição
Lula fala que não volta
mas Dilma diz que saiu não!

O povo de boca aberta
não entende a confusão
deputado que era amigo
agora se diz oposição
quanto dias tem o mês
deste tal de mensalão?

É um monte de escândalo
um dia sim outro não
quando não é deputado
de graça em nosso avião
é a tal de Rosémeri
viajando com o patrão!

Como diz a Bíblia Sagrada
os pecados serão cobrados
e esses tipos malandros
acabarão amaldiçoados
por fazer o povo sofrer
na cidade e no cerrado!

Mas o povo agora sabe
que tem força e poder
eleição é hora da verdade
não adianta correr
o que semearam de ruim
agora vão ter que colher!

Pau que nasce torto
não tem jeito, tá errado
político sem vergonha
agora está acabado
e para não nascer outros
vai ser tudo capado!

Padre Cícero nos ensinou
que nada na terra é eterno
e quem aqui muito pecou
tá marcado no caderno
tostão roubado por tostão
vai pagar tudo no Inferno!

E por toda a eternidade
por nos fazerem de capacho
casadinhos pelo demônio
a abestada e o borracho
para deleite de todos
veremos no mesmo tacho!

II

Mas para espanto meu
não foi o fim da quadrilha
o Petê mexeu nas urnas
e Dilma voltou prá Brasília
sem notar que a paciência
do povo depressa encolhia

Do barraco foi despejada
a mando do nosso Congresso
seu padrinho esperneou
mas sem obter o sucesso
decidiram então ter um filho
para um triunfante regresso

E foi a Dilma que pariu
um sucessor na capacidade
e lembrando os acontecidos
misturando raiva e saudade
batizaram o pimpolho
com o nome de Radade!

Diz a sabedoria do povo
dinheiro roubado custa caro
Contra ladrão tem a Lei
do juiz Moro o amparo
e contra o malandro Radade
a espada de Bolsonaro!

Que seja o fim da quadrilha
e o Petê fique bem enterrado
com Bolsonaro em Brasília
e o povo enfim sossegado
e prá esse cantador do sertão
petista é assunto encerrado!

FIM!


quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Eleições 2018 - A facada que atingiu o PT


As esquerdas em toda sua história sempre posaram de vítimas, num sadomasoquismo que lhes agrada, pisoteados pelos seus dirigentes ultra "zelites" levados pela manada em luxuosos palanquins construídos com o saque das instituições enquanto destroem a economia por incompetência e promovem o caos pela incapacidade de comportarem sem quebrarem o pote na ida com muita sede ao poço Sociedade...
Já há muito era palavra de ordem: se você for detido, mesmo que seja por cinco minutos, saia gritando que foi torturado!
Bolsonaro já está se recuperando, mas a facada continua a doer cada vez mais nos petistas que espumam raivosos a perda da chance de se vitimizar e tirarem vantagem espalhando o medo contra o adversário. Esperem que ainda vem autoflagelo por aí, não sabem agir sem se mostrarem coitadinhos sofridos, patinhos feios apenas em busca de paz e trabalho, atacados pelo imperialismo, fascismo, elites, e tudo o mais que não tenha uma camiseta vermelha.
Acontece que a terrível facada, dada para matar, atingiu os intestinos. E ao atingir justamente os intestinos, feriu a Esquerda em sua essência...


quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Eleições 2018 - Da sugestão de Katia Abreu, da estranha valentia de Cid Gomes e de um poste no caminho...


Escrevi pela manhã:
Contagem regressiva. O repúdio à ditadura petista é tamanha que jamais conseguirão reverter em votos a desvantagem. A fraude desta vez não passará e só UM FATO NOVO, impactante, que surja na reta final e sem tempo útil de ser desmascarado "poderia" interromper a marcha de Bolsonaro rumo ao desmantelamento da ditadura vermelha em nosso país. Trata-se de uma quadrilha perigosa que não titubeará em invadir nosso morro tentando ganhar pela violência, pela mentira, pela covardia de seu modus operandi. Portanto nessa reta final, entremos em total estado de alerta. Um ataque pode vir a qualquer momento por parte desses marginais - até ferindo a própria carne - e com apoio da mídia comprometida e chantageada tentar impactar a parte da população menos esclarecida e vulnerável. Terá que ser combatido de imediato e em força, com irrestrito apoio ao candidato da verdadeira democracia! Nada poderá ser pior do que a Era Petista, onde o roubo, a corrupção, a imoralidade, a violência, provocou a morte de milhares de brasileiros e contaminou nossa juventude e consequentemente nosso futuro.

Pois bem; depois encontrei essa elucubração de Katia Abreu:



Artigo 77 da Constituição, § 4º "Se, antes de realizado o segundo turno, ocorrer morte, desistência ou impedimento legal de candidato, convocar-se-á, dentre os remanescentes, o de maior votação." Ou seja, o Ciro Gomes... Será esse o FATO NOVO? Ai somei com o estranho e aparentemente corajoso embate de Cid Gomes, cercado de petistas, atacando o PT...

Estaremos assistindo uma encenação?

Temos então um FATO NOVO, falta o FATO IMPACTANTE, que provoque a comoção popular, a repulsa aos "fascistas" de Bolsonaro, e coincidentemente os ingênuos terão uma nova opção, com rejeição menor que o Poste de Lula!

Aí, lembrando do "faremos o diabo para ganhar", coloquei em negrito o "ferindo a própria carne"...

Aguardemos...